Um roteiro pelas igrejas e capelas de Portimão

Na sua próxima visita ao Algarve, passe por Portimão, prove a gastronomia local, passeie pela Rua das Comércio, Rua Direita, zona ribeirinha e descubra o património religioso da cidade. Vai de certo apreciar!

Tendo ainda presente a época religiosa da Páscoa, decidimos dar-lhe a conhecer um pequeno roteiro que o levará a descobrir as igrejas e capelas da bonita cidade de Portimão.

O património religioso em Portimão, não é vasto, mas, bastante interessante e vale mesmo uma visita.

Partindo da Praça Manuel Teixeira Gomes, munido do mapa da cidade, vá em direcção à Ponte antiga atento aos pormenores arquitectónicos e procure a Capela de São José. A seguir, perca-se nas ruas e ruelas em direcção à Igreja Matriz de Portimão e por fim, a Igreja do Colégio dos Jesuítas. Daqui, pode aproveitar e dar um salto à Rua do Comércio para ver as últimas tendências da moda e à Rua Direita para umas compras de produtos regionais na Mercearia do Algarve, deliciar-se com um doce regional na Casa da Isabel, ou um petisco na Maria do Mar.  Depois dos petiscos, é hora de uma caminhada mais longa junto à zona ribeirinha, atravessando depois o interior da cidade, até à Capela da Nossa Senhora do Amparo.

Teixeira Gomes
Praça Manuel Teixeira Gomes

Capela de São José

Esta capela centenária, situada junto à Ponte antiga de Portimão, foi erigida no século XVII. Durante vários anos, foi lugar de culto a São José, padroeiro dos carpinteiros navais que trabalhavam em estaleiros próximos deste lugar. No interior, alguns traços de barroco. O revestimento em azulejos, realça a moldura em talha dourada com a imagem de Cristo crucificado. Está fechada ao público, abrindo somente para celebrações de Eucaristia, aos domingos às 17h:00.

Capela Sao Jose
Capela de São José

Igreja Matriz de Portimão

Datada do sec. XV, a Igreja Matriz de Portimão situa-se na zona mais elevada da cidade, no interior das antigas muralhas.

Igreja Matriz
Igreja Matriz de Portimão

O portal tardo-gótico é inspirado no mais imponente monumento da época, o Mosteiro da Batalha e nele se identificam finas esculturas de músicos e mulheres em moldura. Aqui convivem diversos estilos, como o barroco, o rococó e o manuelino, fruto das várias fases de reconstrução e enriquecimento artístico do templo.

Interior
Interior da Igreja Matriz de Portimão

Igreja do Colégio dos Jesuítas

Situada na Alameda da Praça da República, em Portimão, a Igreja e o Colégio dos Jesuítas foi construída em finais do séc. XVII por ordem de D. Diogo Gonçalves – cujo mausoléu permanece na capela-mor – como agradecimento por ter encontrado em Portimão um bom porto de abrigo, depois de uma forte tempestade no mar.

Colegio
Igreja do Colégio dos Jesuitas

Ao contrário das construções Jesuíticas, este edifício assumia plenamente o Barroco. . Com o terramoto de 1755 sofreu alguns danos, destacando as abóbadas, o que contribui para uma refeitura da fachada principal.

A austeridade e a simplicidade da arquitetura da Res­tauração estão presentes no interior da Igreja-Salão.

Interior
Interior da Igreja do Colégio das Jesuitas

A Igreja do Colégio dos Jesuítas chegou a ser escolhida pelo Marquês de Pombal para fixar na região de Portimão uma nova Sé algarvia (Diocese), projeto que não se concretizou.

Capela da Nossa Senhora do Amparo

Esta capela simples, de origem árabe, foi cristianizada e dedicada a Nossa Senhora do Amparo, também conhecida por Nossa Senhora do Leite, e aqui bem representada numa tela atrás do altar, amamentando o seu bebé. Aqui se dirigiam as grávidas para receberem a sua bênção. A Capela foi construída à semelhança dos antigos morabitos islâmicos, tendo sido restaurada há 30 anos.

Morabito de Portimão.JPG
Capela da Nossa Senhora do Amparo

Na sua próxima visita ao Algarve, passe por Portimão, prove a gastronomia local, passeie pela Rua das Comércio, zona ribeirinha e descubra o património religioso da cidade. Vai de certo apreciar!

Terreiro do Paço, uma praça repleta de memórias

A Praça do Comércio é um dos lugares mais emblemáticos de Lisboa, de visita obrigatória que não vai deixar de querer conhecer na sua próxima viagem à capital de Portugal!
BIKE MY SIDE AND ENJOY THE RIDE | BLOG DE LAZER E VIAGENS POR CÁ

Se estiver visitando Lisboa, a Praça do Comércio é uma das praças icónicas de Lisboa que não deve deixar de conhecer.

lisboa

Um lugar repleto de memórias do passado, a Praça do Comércio é mais conhecida pelos locais como Terreiro do Paço, pois antes do terremoto de 1755, aqui se encontrou durante dois séculos, o palácio dos réis portugueses.

LisboaStoryCentre_02

É uma das maiores praças da Europa e oferece acesso a várias atracções de Lisboa, como o Pátio da Galé, o Cais das Colunas e o moderno Lisbon Story Centre – um espaço inovador dedicado à história da capital portuguesa que utilizando cenografia, multimédia e experiências sensoriais, relata uma variedade de fatos e eventos que moldaram esta incrível cidade.

cais das colunas

Do Terreiro do Paço pode facilmente ir ao Arco da Rua Augusta, apreciar a calçada portuguesa e contemplar o rio Tejo.

arco

Num dos edifícios da praça fica o famoso Café Martinho da Arcada, o mais antigo de Lisboa e um dos favoritos de Fernando Pessoa.

cafe-martinho-da-arcada

A estátua do rei D. José I e do imponente cavalo Gentil são o local perfeito para descansar e respirar a atmosfera de Lisboa.

cavalo

Portanto, na sua próxima viagem a Lisboa, lembre-se: faça da Praça do Comércio o seu ponto de partida para descobrir esta surpreendente cidade!

O Natal em Portugal: tradições que perduram

Na época de Natal vive-se um ambiente de celebração e os momentos mais importantes são os que reavivam o espírito de comunhão e partilha. BIKE MY SIDE AND ENJOY THE RIDE | BLOG DE LAZER E VIAGENS POR CÁ

Na época de Natal vive-se um ambiente de celebração e os momentos mais importantes são os que reavivam o espírito de comunhão e partilha entre familiares e amigos, onde o estar à mesa de jantar para a Consoada é um dos momentos mais marcantes. 

Os pratos típicos da Consoada e os doces da época ainda mudam um pouco de região para região, de Norte a Sul de Portugal, mas tendem a ser cada vez mais parecidos.

Tradicionalmente, as famílias reúnem-se no dia 24 de Dezembro e à mesa do jantar come-se o Bacalhau da Consoada ou o polvo cozido, servido com ovo, batata e couve portuguesa cozida, embora o peru ou o galo assado e outros pratos de carne que eram saboreados nos dias seguintes já comecem igualmente a integrar as ementas.

bacalhau-cozido-consoada-de-natal

Para a sobremesa, não falta o Bolo-rei, o Bolo Rainha, recheado com frutas cristalizadas ou com frutos secos, além dos deliciosos fritos tradicionais: as filhós, os sonhos, as rabanadas, o arroz doce e as azevias de batata-doce e gila, principalmente no Algarve.

rabanada

À meia-noite, celebra-se a Missa do Galo e nas igrejas, bem como nas casas, há um lugar especial para o presépio, a recriação do estábulo onde nasceu Jesus Cristo, uma ideia de São Francisco de Assis no séc. XIII, bastante habitual em Portugal.

No Algarve, a preparação do presépio tradicional começa no dia 8 de Dezembro, na festa de Nossa Senhora da Conceição, onde são semeados trigo, aveia, cevada, lentilhas, milho, e outras sementes que mal germinem vão ornamentar o altar. As laranjas, colocadas no presépio, não são apenas para ornamento, mas também para oferecer aos amigos. Nove dias antes do Natal, prepara-se a casa para armar o presépio. Em cima de uma cómoda, coloca-se um pequeno trono em escadaria, que imita o altar-mor da igreja.  No dia de Reis, as searinhas são transplantadas, com votos de boas colheitas para o ano novo que se aproxima.

Presepio

Nalgumas regiões, como em Bragança, Guarda ou Castelo Branco, ainda se queima um madeiro durante a noite, numa grande fogueira no adro da Igreja que serve de ponto de encontro para reunir amigos e vizinhos e desejar um Feliz Natal.

queima do madeiro na aldeia de Sta Margarida

No dia 6 de janeiro, no Dia de Reis, as festas terminam com as “Janeiras”. Na rua ou em monumentos e igrejas, ouvem-se estes cantos tradicionais para desejar votos de um Bom Ano.

natal-portugal

Já agora, quais são as tradições de Natal da sua região?

 

Aguardente de medronho, o néctar dos deuses da serra do Algarve

Com o Outono e as primeiras chuvas – que este ano tardaram a cair – começa no Algarve, a época da apanha do medronho, o fruto a partir do qual se faz a famosa aguardente de medronho algarvia. BIKE MY SIDE AND ENJOY THE RIDE | BLOG DE LAZER E VIAGENS POR CÁ

Com o Outono e as primeiras chuvas – que este ano tardaram a cair – começa no Algarve, quando os ramos dos medronheiros se enchem de frutos de cor vermelha e alaranjada, a época da apanha do medronho, o fruto a partir do qual se faz a famosa aguardente de medronho algarvia.

Para quem não sabe, o medronheiro é uma planta espontânea típica das serras algarvias e do sul do mediterrâneo.

2014-12-02-medronho

Os seus frutos, de cor amarela, alaranjada e vermelha, surgem em meados de Outubro e Novembro e parecem-se com morangos silvestres,  embora mais redondos e de textura rugosa.

Os de cor vermelha já maduros, são doces e comestíveis e até bastante saudáveis pois têm uma ação antioxidante.

O aproveitamento do fruto do medronheiro para fermentação e destilação ou para a confeção de compotas é uma prática que remonta há muitos séculos em toda a zona serrana algarvia.

A técnica de destilação com alambiques tem origem nas civilizações egípcias e grega e normalmente, realiza-se em meados de Fevereiro.

DESTAQUE_Medronho-933x445

Os frutos são cuidadosamente recolhidos, colocados a fermentar em pipas de madeira, após o que, passado algum tempo, são destilados em alambiques de cobre.

destilaria-1

A qualidade do fruto, a sua colheita, os cuidados com a fermentação, a destilação e o seu tempo de duração, são alguns dos segredos de cada produtor. Segredos que são transmitidos de geração em geração, para que o produto final – a aguardente de medronho algarvia – seja única em todo o mundo e de sabor inigualável.

Um verdadeiro ex-libris das serras do Algarve que não pode deixar de provar!

Medronho-lavrar-o-mar-Monchique-8

Se quiser saber um pouco mais sobre as fase do medronho – a apanha, a fermentação, a destilação e o engarrafamento, espreite aqui.

Portimão, muito mais do que Sol e Mar

Portimão é uma cidade rica em história e cultura, com monumentos, sítios arqueológicos e igrejas que merecem sem dúvida uma visita durante as suas férias de Verão. BIKE MY SIDE AND ENJOY THE RIDE |BLOG DE LAZER E VIAGENS POR CÁ

Quem visita a bonita cidade de Portimão no Verão sabe que pode encontrar magníficas praias como a Praia da Rocha, a Praia do Vau ou a Praia do Alemão, bons restaurantes com peixe e marisco sempre fresco – não fosse esta uma terra de pescadores – e uma animada vida nocturna, onde não faltam bares, discotecas e beach clubs para todos os gostos.  Mas, Portimão é muito mais do que Sol e Mar…

O que talvez poucos sabem é que esta é uma cidade rica em história e cultura, com monumentos, sítios arqueológicos e igrejas no chamado Centro Histórico de Portimão, em Alvor e nas imediações que merecem sem dúvida uma visita durante as suas férias de Verão.

Passeios à luz das estrelas

Uma forma interessante de conhecer o património de Portimão nas noites de Verão é através dos passeios culturais nocturnos, em quatro sextas-feiras, à luz das estrelas, organizados pela Câmara Municipal de Portimão, onde os participantes são convidados a fazer o trajecto entre a Praça Manuel Teixeira Gomes, o Jardim Bívar, a Casa Manuel Teixeira Gomes, o Largo 1º de Dezembro, a Igreja Matriz, Alameda da Republica e o Largo 1º de Maio.

Igreja

São também organizados passeios nocturnos à descoberta do interessante património islâmico da vila piscatória de Alvor que possui três edifícios de origem islâmica atualmente transformados em pequenas capelas. Neste passeio cultural são visitados o Morabito de São Pedro, o Morabito anexo à Igreja Matriz de Alvor e o edifício religioso, o Museu Etnográfico, o Castelo e a arquitetura civil da vila.

ALVOR-À-NOITE-Igreja-Matriz-de-Alvor

Alcalar

A cerca de 10 km do centro de Portimão encontram-se os monumentos megalíticos de Alcalar, onde há cerca de 5.000 anos atrás, viveu uma comunidade pré-histórica. Neste museu ao ar livre podemos descobrir o quotidiano das primeiras comunidade pré-históricas e os seus rituais.

alcalar

Museu de Portimão

O ex-líbris da cidade em termos culturais é sem dúvida, o Museu de Portimão, um dos museus portugueses mais premiados a nível nacional e internacional, inaugurado em 2008 e que já recebeu o prémio “Museu Conselho da Europa 2010”, atribuído pelo Conselho da Europa.

Museu_Portimao_Fachada_Poente

Instalado numa antiga fábrica de conservas de peixe, na margem direita do Rio Arade,  o Museu de Portimão convida a descobrir as origens e evolução da comunidade, do território e dos aspectos mais marcantes da história industrial e marítima de Portimão.

passado

Dividido em três percursos “Origem e Destino de uma Comunidade”, “A Vida Industrial e o Desafio do Mar” e “Do Fundo das Águas”, somos convidados a mergulhar no passado e descobrir antigas formas de viver e tradições que o museu ajuda a perpetuar no tempo presente.

O mundo rural

Na sala de projecção, o filme “O Jogo da Sardinha”, filmado 1946 em Portimão nas fábricas S. António e S. Francisco da firma Feu & Hermano, retrata ao longo de cerca de 20 minutos, o processo de produção das conservas de sardinha. Vale a pena assistir e testemunhar imagens reais do duro e exigente quotidiano da indústria conserveira algarvia.

A industria conserveira

Na antiga cisterna que alimentava os tanques da salmoura e as caldeiras da antiga fábrica, é possível conhecer o projecto Ocean Revival que tem como base a imersão deliberada de quatro navios de guerra da Marinha Portuguesa para a formação de um recife artificial único no mundo, com as condições ideais para a fixação e proliferação da fauna e flora marinha, motivo de grande interesse para os amantes do mundo subaquático.

fundo do mar

Visitar o Museu de Portimão é um óptimo programa em família para uma tarde quente de Verão de modo a fugir às horas de maior calor na praia, contribuindo para enriquecer e diversificar ainda mais a sua experiência de férias por terras do Algarve.

E ao reservar o passeio de sidecar “Vistas de Postal” da Bike my Side recebe de imediato um voucher no valor de €1 para descontar no seu bilhete de entrada no Museu de Portimão.

Da próxima vez que estiver de férias em Portimão, já sabe: aproveite estas dicas e parta à descoberta do lado mais cultural, e provavelmente mais desconhecido, desta cidade algarvia. Irá de certo gostar!

 

Contactos Museu de Portimão

Rua D. Carlos I, 8500 – 607 Portimão | Tel.: + 351 282 405 230
museu@cm-portimao.pt | http://www.museudeportimao.pt

Centro de Interpretação Alcalar

Tel.: +351 282 471 410 | alcalar@cm-portimao.pt

Passeios Culturais Noturnos

As inscrições para os passeios são gratuitas e limitadas e devem ser realizadas previamente até um dia antes dos respetivos passeios, através dos seguintes contactos: email: gabinete.patrimonio@cm-portimao.pt e telefones 282 470 799/282 480 488

Bike my Side – passeios privados em sidecar

Tel.: +351 917 015 996 | algarve@bikemyside.com | www.bikemyside.com