Finalmente o Verão!

No Algarve, não há Verão, sem Mar e muito, muito Sol, por isso hoje partilharemos imagens inspiradoras de magníficas praias algarvias. Boas férias!

Depois de algumas hesitações, o calor veio finalmente para ficar. É Verão, em todos os sentidos, para todos os sentidos!

Como no Algarve, não há Verão, sem praias, Mar e muito, muito Sol, hoje iremos apenas partilhar imagens inspiradoras para, caso ainda tenha dúvidas, marque já as suas férias para este cantinho à beira-mar plantado.

Além das praias, há muito mais para fazer, sentir e saborear no Algarve. Mas, disso, falaremos noutra altura. Hoje, partilharemos somente imagens de praias magníficas de areias brancas e águas cristalinas.

E nem foi preciso ir muito longe! Não saíamos do concelho de Portimão e de Lagoa, para encontrarmos praias já consideradas entre as melhores da Europa ou do Mundo, como é o caso da Praia do Carvoeiro ou a Praia da Marinha.

Prainha
Prainha, Portimão
Praia da Marinha Sidecar Tours
Praia da Marinha, Lagoa
Algarve Praia do Alemão
Praia do Alemão, Portimão
Best beach award
Praia do Carvoeiro, Lagoa

Convencidos? Claro que sim.

Boas férias e até breve!

Advertisements

Um roteiro pelas igrejas e capelas de Portimão

Na sua próxima visita ao Algarve, passe por Portimão, prove a gastronomia local, passeie pela Rua das Comércio, Rua Direita, zona ribeirinha e descubra o património religioso da cidade. Vai de certo apreciar!

Tendo ainda presente a época religiosa da Páscoa, decidimos dar-lhe a conhecer um pequeno roteiro que o levará a descobrir as igrejas e capelas da bonita cidade de Portimão.

O património religioso em Portimão, não é vasto, mas, bastante interessante e vale mesmo uma visita.

Partindo da Praça Manuel Teixeira Gomes, munido do mapa da cidade, vá em direcção à Ponte antiga atento aos pormenores arquitectónicos e procure a Capela de São José. A seguir, perca-se nas ruas e ruelas em direcção à Igreja Matriz de Portimão e por fim, a Igreja do Colégio dos Jesuítas. Daqui, pode aproveitar e dar um salto à Rua do Comércio para ver as últimas tendências da moda e à Rua Direita para umas compras de produtos regionais na Mercearia do Algarve, deliciar-se com um doce regional na Casa da Isabel, ou um petisco na Maria do Mar.  Depois dos petiscos, é hora de uma caminhada mais longa junto à zona ribeirinha, atravessando depois o interior da cidade, até à Capela da Nossa Senhora do Amparo.

Teixeira Gomes
Praça Manuel Teixeira Gomes

Capela de São José

Esta capela centenária, situada junto à Ponte antiga de Portimão, foi erigida no século XVII. Durante vários anos, foi lugar de culto a São José, padroeiro dos carpinteiros navais que trabalhavam em estaleiros próximos deste lugar. No interior, alguns traços de barroco. O revestimento em azulejos, realça a moldura em talha dourada com a imagem de Cristo crucificado. Está fechada ao público, abrindo somente para celebrações de Eucaristia, aos domingos às 17h:00.

Capela Sao Jose
Capela de São José

Igreja Matriz de Portimão

Datada do sec. XV, a Igreja Matriz de Portimão situa-se na zona mais elevada da cidade, no interior das antigas muralhas.

Igreja Matriz
Igreja Matriz de Portimão

O portal tardo-gótico é inspirado no mais imponente monumento da época, o Mosteiro da Batalha e nele se identificam finas esculturas de músicos e mulheres em moldura. Aqui convivem diversos estilos, como o barroco, o rococó e o manuelino, fruto das várias fases de reconstrução e enriquecimento artístico do templo.

Interior
Interior da Igreja Matriz de Portimão

Igreja do Colégio dos Jesuítas

Situada na Alameda da Praça da República, em Portimão, a Igreja e o Colégio dos Jesuítas foi construída em finais do séc. XVII por ordem de D. Diogo Gonçalves – cujo mausoléu permanece na capela-mor – como agradecimento por ter encontrado em Portimão um bom porto de abrigo, depois de uma forte tempestade no mar.

Colegio
Igreja do Colégio dos Jesuitas

Ao contrário das construções Jesuíticas, este edifício assumia plenamente o Barroco. . Com o terramoto de 1755 sofreu alguns danos, destacando as abóbadas, o que contribui para uma refeitura da fachada principal.

A austeridade e a simplicidade da arquitetura da Res­tauração estão presentes no interior da Igreja-Salão.

Interior
Interior da Igreja do Colégio das Jesuitas

A Igreja do Colégio dos Jesuítas chegou a ser escolhida pelo Marquês de Pombal para fixar na região de Portimão uma nova Sé algarvia (Diocese), projeto que não se concretizou.

Capela da Nossa Senhora do Amparo

Esta capela simples, de origem árabe, foi cristianizada e dedicada a Nossa Senhora do Amparo, também conhecida por Nossa Senhora do Leite, e aqui bem representada numa tela atrás do altar, amamentando o seu bebé. Aqui se dirigiam as grávidas para receberem a sua bênção. A Capela foi construída à semelhança dos antigos morabitos islâmicos, tendo sido restaurada há 30 anos.

Morabito de Portimão.JPG
Capela da Nossa Senhora do Amparo

Na sua próxima visita ao Algarve, passe por Portimão, prove a gastronomia local, passeie pela Rua das Comércio, zona ribeirinha e descubra o património religioso da cidade. Vai de certo apreciar!

Onde apreciar o Fado em Lisboa

Quando visitar Lisboa aproveite para ouvir ao vivo, o som da alma portuguesa enquanto degusta uma agradável refeição. Aqui ficam cinco sugestões de casas de fado a conhecer.

O fado faz parte da identidade de Portugal e é um símbolo da cidade de Lisboa. Em 2011, foi classificado pela UNESCO como Património da Humanidade, um reconhecimento que muito nos orgulha.

Quando estiver em Lisboa aproveite para ouvir ao vivo, o som da alma portuguesa.

Deixamos aqui cinco sugestões de locais – alguns mais turísticos, outros mais tradicionais e típicos. Há apresentações com fadistas profissionais e com fadistas amadores – o chamado fado vadio – estilos diferentes, mas todos a cantar a Saudade, o Sentimento e o Amor.

Se tiver oportunidade, passe ainda pela Madragoa, onde fica a casa onde viveu Amália Rodrigues, a mais carismática das fadistas e quem levou o nosso fado ao mundo. Com grande presença e carisma natural é a Amália que devemos a imagem clássica do vestido preto com xaile.

Clube do Fado

Situado nas imediações da Sé, no coração de Alfama, o Clube de Fado é mais do que um restaurante, é um local onde se provam boas iguarias da cozinha tradicional, com o fado e a guitarra portuguesa por companhia. Uma referência no universo das tradicionais casas de fado de Lisboa, com um ambiente romântico, decoração sóbria e intimista.

Clube do Fado

Restaurante Sr. Vinho

Fundada em 1975, o Sr. Vinho é uma das casas de fado mais conhecidas e tradicionais de Lis­boa. Com três pisos e uma decoração contemporânea, oferece diferentes ambientes para apreciar o fado, além da excelente gastronomia portuguesa e um requintado serviço de mesa.

sr vinho f

Parreirinha de Alfama

A Parreirinha de Alfama é uma casa de fado de ambiente acolhedor onde a cozinha tradicional portuguesa e o fado combinam na perfeição. Por aqui já passaram as vozes de Amália Rodrigues, Alfredo Marceneiro, Tristão da Silva, Maria da Fé, entre muitos outros.

Parreirinha de alfama

Adega Machado

Situada no Bairro Alto, a Adega Machado é uma das casas de fado mais conhecidas de Lisboa. Distribuída por três pisos é um local que pretende cruzar o tradicional com o contemporâneo, tanto no fado, como na gastronomia. Se quiser conhecer interpretações contemporâneas do Fado de Lisboa que mergulham nas raízes da canção urbana, a Adega Machado é o local certo.

Adega_Machado_interiores_D5

O Faia

Fundado em 1947, O Faia mantém-se até aos dias de hoje como uma referência na noite lisboeta.  Em mais de meio século de existência, grandes nomes do fado foram presença habitual nesta casa, a começar pela fundadora, Lucília do Carmo, ela própria uma figura importante na História do Fado e continuando com o seu filho, Carlos do Carmo. Aqui cantaram nomes como Alfredo Marceneiro, Tristão da Silva, Fernando Maurício, Ada de Castro, Beatriz da Conceição, Vasco Rafael, Camané, entre outros. À mesa do Faia podem-se descobrir aromas e sabores numa cozinha criativa e contemporânea sem esquecer a tradição e o respeito pela cozinha portuguesa.

O faia F

 

O sabor genuíno de uma tradição algarvia, Filetes de Biqueirão Avô Luís

Encontrámos uma pequena conserveira artesanal no Algarve que produz com muito amor e carinho, deliciosos filetes de biqueirão. BIKE MY SIDE AND ENJOY THE RIDE | BLOG DE LAZER E VIAGENS POR CÁ

Na procura das melhores dicas e segredos para partilhar com o mundo, encontrámos uma pequena conserveira artesanal no Algarve que tem por detrás uma comovente história familiar e que produz, com muito amor e carinho, deliciosos filetes de biqueirão.

Para quem não sabe, o biqueirão é um peixe azulado de pequeno porte, a partir do qual se podem fazer filetes, que processados de modo artesanal – tendo como base toda uma tradição ancestral e a enorme herança que a indústria conserveira deixou a quem nela trabalhou – se transformam numa deliciosa iguaria, ideal como entrada ou lanche, temperada com alho e acompanhada por uma cerveja gelada ou um bom vinho verde fresco.

biqueirao 3

A história dos Filetes de Biqueirão Avô Luís, é também, a história da indústria conserveira no Algarve e de Carla, uma mulher de armas e de sorriso agradável, que se entrega de corpo e alma a todos os projectos que abraça e a eles dedica, todo o seu carinho.

biqueirao 4

Vamos deixar que a sua história, seja contada pelas suas próprias palavras, cabendo-nos somente, apresentá-la, numa pequena nota biográfica…

Carla Isabel de Jesus Serol nasceu a 13 de outubro de 1976. É a mais nova de seis irmãos. Filha de Deolinda Boiças e Luís Serol. É casada há 18 anos com Mário, que é o seu maior apoio neste projeto e mãe de três rapazes de 13, 9 e 4 anos. É natural de Lagoa, no Algarve onde trabalha como assistente administrativa na Unidade de Ação Social do Município. Vive em Armação de Pêra há 18 anos, mas toda a sua vida gira em volta da cidade de Lagoa, onde trabalha, onde estudam os filhos e frequentam a creche. Participa ativamente na vida social e política do seu concelho, tendo assumido em outubro de 2017, o cargo de Presidente da Assembleia da União de Freguesias de Lagoa e Carvoeiro. Atualmente, a estudar Ciências Sociais na Universidade Aberta, tem como objetivo, licenciar-se em Serviço Social.

“O biqueirão foi sempre algo muito presente na minha casa, desde sempre. Foi um dado adquirido, algo que surgia ano após ano pelas mãos dos meus pais, como uma tradição que se mantinha.

A minha mãe fora na sua juventude conserveira. Trabalhou em quase todas as fábricas de conserva de peixe que existiam na altura no concelho de Lagoa. E acredite-se, eram muitas! Também a minha avó paterna, que nunca conheci, trabalhou como conserveira em muitas destas mesmas fábricas.

Todo o conhecimento que tinham, não só quanto à preparação do biqueirão mas também de muitos outros processos de conserva de peixe, passaram-no ao meu pai. E foi desta forma, que a tradição da preparação e estiva do biqueirão se manteve na minha família.

Impulsionada pelo meu pai, que era um homem que gostava de um bom petisco e de biqueirão particularmente, a minha mãe lá preparava o peixe que o meu pai trazia. Fazia-o de forma quase contrariada, reflexo de muitos anos de fábrica, de muitas horas de pé a arranjar peixe, de feitores que nem sempre eram agradáveis, de anos que não foram de todo retirados de um conto de fadas. Mas ainda assim, fazia-o como se nunca o tivesse deixado de fazer. Fazia-o como ninguém!

E assim foi durante muitos anos, até à triste data em que tivemos que nos despedir derradeiramente da minha mãe.

Nos anos seguintes, o meu pai manteve a tradição, sozinho. O resultado era 20 a 30 frascos que ele distribuía calorosamente pelos filhos e por alguns amigos mais chegados. O meu pai era um homem extraordinariamente generoso.

Com a partida da minha mãe, conversámos muitas vezes de que ele não poderia partir sem deixar o testemunho do biqueirão a alguém. Combinamos que no próximo Verão, o faríamos em conjunto, para que eu, além da teoria, aprendesse toda a prática do processo. Mas a vida trocou-nos a voltas, e o “próximo Verão” não chegou para o meu pai.

Prometi-lhe ainda em vida, que o faria mesmo sem ele. E assim o fiz! No verão seguinte preparei o meu primeiro lote de biqueirão, tendo como mentor apenas o coração. E é incrível o poder do amor… como se tivesse a ser guiada, elaborei os primeiros 30 frascos dos Filetes de Biqueirão Avô Luís. Com o sucesso à vista e a procura que tive por mais produto, decidi continuar aquilo que começou por ser uma promessa de amor.

Neste momento, as Flietes de Biqueirão Avô Luís vieram para ficar. Temos um pequeno negócio em ascensão, ao qual prevejo muito sucesso e que engloba já uma pequena conserveira artesanal.”

A estiva do biqueirão (tratamento do peixe após a salmoura que depois dará origem ao delicioso petisco) é na verdade, um processo totalmente artesanal que envolve muito tempo, trabalho, paciência e acima de tudo, muita dedicação.

biqueirao 6

É este o segredo dos Filetes de Biqueirão Avô Luís – muito empenho, na ambição de querer manter estes sabores tradicionais, tão algarvios, e um verdadeiro exemplo, de que os bons produtos tradicionais requerem alma, dedicação, e, muito amor.

Biqueirao

Se desejar degustar esta iguaria, de produção limitada, poderá por enquanto, encontrá-la somente através do Facebook em Filetes de Biqueirão – Avô Luís.

Biqueirao 2

Bom apetite!

Follow my blog with Bloglovin

 

Terreiro do Paço, uma praça repleta de memórias

A Praça do Comércio é um dos lugares mais emblemáticos de Lisboa, de visita obrigatória que não vai deixar de querer conhecer na sua próxima viagem à capital de Portugal!
BIKE MY SIDE AND ENJOY THE RIDE | BLOG DE LAZER E VIAGENS POR CÁ

Se estiver visitando Lisboa, a Praça do Comércio é uma das praças icónicas de Lisboa que não deve deixar de conhecer.

lisboa

Um lugar repleto de memórias do passado, a Praça do Comércio é mais conhecida pelos locais como Terreiro do Paço, pois antes do terremoto de 1755, aqui se encontrou durante dois séculos, o palácio dos réis portugueses.

LisboaStoryCentre_02

É uma das maiores praças da Europa e oferece acesso a várias atracções de Lisboa, como o Pátio da Galé, o Cais das Colunas e o moderno Lisbon Story Centre – um espaço inovador dedicado à história da capital portuguesa que utilizando cenografia, multimédia e experiências sensoriais, relata uma variedade de fatos e eventos que moldaram esta incrível cidade.

cais das colunas

Do Terreiro do Paço pode facilmente ir ao Arco da Rua Augusta, apreciar a calçada portuguesa e contemplar o rio Tejo.

arco

Num dos edifícios da praça fica o famoso Café Martinho da Arcada, o mais antigo de Lisboa e um dos favoritos de Fernando Pessoa.

cafe-martinho-da-arcada

A estátua do rei D. José I e do imponente cavalo Gentil são o local perfeito para descansar e respirar a atmosfera de Lisboa.

cavalo

Portanto, na sua próxima viagem a Lisboa, lembre-se: faça da Praça do Comércio o seu ponto de partida para descobrir esta surpreendente cidade!

O Natal em Portugal: tradições que perduram

Na época de Natal vive-se um ambiente de celebração e os momentos mais importantes são os que reavivam o espírito de comunhão e partilha. BIKE MY SIDE AND ENJOY THE RIDE | BLOG DE LAZER E VIAGENS POR CÁ

Na época de Natal vive-se um ambiente de celebração e os momentos mais importantes são os que reavivam o espírito de comunhão e partilha entre familiares e amigos, onde o estar à mesa de jantar para a Consoada é um dos momentos mais marcantes. 

Os pratos típicos da Consoada e os doces da época ainda mudam um pouco de região para região, de Norte a Sul de Portugal, mas tendem a ser cada vez mais parecidos.

Tradicionalmente, as famílias reúnem-se no dia 24 de Dezembro e à mesa do jantar come-se o Bacalhau da Consoada ou o polvo cozido, servido com ovo, batata e couve portuguesa cozida, embora o peru ou o galo assado e outros pratos de carne que eram saboreados nos dias seguintes já comecem igualmente a integrar as ementas.

bacalhau-cozido-consoada-de-natal

Para a sobremesa, não falta o Bolo-rei, o Bolo Rainha, recheado com frutas cristalizadas ou com frutos secos, além dos deliciosos fritos tradicionais: as filhós, os sonhos, as rabanadas, o arroz doce e as azevias de batata-doce e gila, principalmente no Algarve.

rabanada

À meia-noite, celebra-se a Missa do Galo e nas igrejas, bem como nas casas, há um lugar especial para o presépio, a recriação do estábulo onde nasceu Jesus Cristo, uma ideia de São Francisco de Assis no séc. XIII, bastante habitual em Portugal.

No Algarve, a preparação do presépio tradicional começa no dia 8 de Dezembro, na festa de Nossa Senhora da Conceição, onde são semeados trigo, aveia, cevada, lentilhas, milho, e outras sementes que mal germinem vão ornamentar o altar. As laranjas, colocadas no presépio, não são apenas para ornamento, mas também para oferecer aos amigos. Nove dias antes do Natal, prepara-se a casa para armar o presépio. Em cima de uma cómoda, coloca-se um pequeno trono em escadaria, que imita o altar-mor da igreja.  No dia de Reis, as searinhas são transplantadas, com votos de boas colheitas para o ano novo que se aproxima.

Presepio

Nalgumas regiões, como em Bragança, Guarda ou Castelo Branco, ainda se queima um madeiro durante a noite, numa grande fogueira no adro da Igreja que serve de ponto de encontro para reunir amigos e vizinhos e desejar um Feliz Natal.

queima do madeiro na aldeia de Sta Margarida

No dia 6 de janeiro, no Dia de Reis, as festas terminam com as “Janeiras”. Na rua ou em monumentos e igrejas, ouvem-se estes cantos tradicionais para desejar votos de um Bom Ano.

natal-portugal

Já agora, quais são as tradições de Natal da sua região?

 

Na rota do vegetarianismo e veganismo: siga a tendência do próximo ano no Algarve

A alimentação vegetariana, vegan e saudável é uma tendência que veio para ficar. Descubra em Portimão alguns locais de paragem obrigatória. BIKE MY SIDE AND ENJOY THE RIDE | BLOG DE LAZER E VIAGENS POR CÁ

De acordo com Regis St. Loius, cronista no famoso blogue de viagens Lonely Planet, viajar optando por uma alimentação vegetariana e vegan  será uma das tendências de viagens do próximo ano.

Seja por questões de saúde, por defesa dos direitos dos animais, para proteger o meio ambiente, ou simplesmente, para variar o paladar e experimentar novos sabores, a alimentação vegetariana, vegan e saudável é uma tendência que veio para ficar.

Se é vegan, vegetariano, amante de comida raw, ou deseja meramente saborear uma cozinha menos tradicional durante as suas férias no Algarve, pode encontrar em Portimão, alguns locais que merecem realmente uma visita, quer pela qualidade da comida, quer pela simpatia do pessoal.

Azul Naturalmente Saudável Alvor

Se pensa que a comida vegetariana é aborrecida e sem sabor, está enganado. No Azul Naturalmente Saudável, comer de forma saudável, pode ser divertido e colorido. Marisa Marques gere com um sorriso este pequeno mas amigável espaço em Alvor que serve refeições 100% vegan, biológicas e sem glúten. No Azul defende-se uma alimentação saudável, da forma mais natural possível, aproveitando o que a Natureza nos dá de melhor e com uma preocupação ética para com os animais e o meio ambiente. Serve almoços, bebidas e café. Há também uma pequena mercearia onde pode comprar alguns produtos biológicos para uma lembrança original.

Marisa

Pergunte pelos Bombons de Manteiga de Amendoim e delicie-se com estas pequenas tentações raw (cru).

Bombons

Armazém Integral, Portimão

O Armazém Integral é uma loja de alimentação saudável de venda a granel que serve refeições 100% vegan, sumos naturais e sobremesas raw. Aqui pode encontrar farinhas especiais e variadas, pastelaria saudável, superalimentos, oleaginosas, sementes, cereais suplementos naturais, e muito mais, tudo a granel, para um consumo sustentável e à medida, sempre à disposição com a atenção e gentileza do casal Érika e Adérito. Todos os dias da semana há ao almoço, um prato vegan, um sumo fresco e uma sobremesa raw, para comer no local ou para levar.

armazem

As refeições variam durante a semana e são sempre gostosas, mas o nosso destaque vai definitivamente para as originais sobremesas raw (cruas)  que surpreendem todos os clientes. Ah! E também tem de provar os sorvetes vegan. São deliciosos!

raw

Mercearia Bio Café, Portimão

Mesmo na esquina do Armazém Integral, encontramos a Mercearia Bio Café que começou a sua aventura há dez anos como a Mercearia Bio, uma loja online de produtos orgânicos. O sonho de Pedro Gonçalves, o dono, foi crescendo e materializou-se na Mercearia Bio Café, onde além da comercialização de produtos orgânicos, frescos biológicos, bebidas e não alimentar, pode tomar o pequeno-almoço, almoçar, lanchar ou beber um sumo natural, tudo, 100% biológico certificado. A Mercearia Bio Café dispõe de um espaço interior acolhedor, uma pequena mas agradável esplanada exterior com vista parcial para o rio e um serviço sempre simpático.

Mercearia 2

Se é amante do café pode beber aqui um óptimo café biológico.

Cafe b

Super Juice – Juice & Smoothie Bar, Praia da Rocha

Super Juice fica localizado na Praia da Rocha e oferece uma variedade de smoothies de frutas e legumes feitos no momento, além de saladas, sandes e lanches saudáveis. Fica a menos de um minuto da famosa Praia da Rocha e até conseguimos ver o mar da esplanada. Um espaço descontraído com uma decoração típica de bar de praia. Se quiser começar o dia com um sumo energético antes de um mergulho, esta é uma óptima opção. No menu há também saladas e sandes com diversas opções vegetarianas, vegan e não só, e duas variedades de húmmus.

Super juice

Para umas férias mais saudáveis, o Green Detox é o sumo que vai querer pedir.

Green Detox

Taberna da Casa da Tocha, Portimão

A Casa da Tocha fica situada no centro de Portimão, num edifício do início do século XX. Com um ambiente descontraído e de proximidade, a Taberna da Casa da Tocha serve refeições, petiscos e vinhos. Todos os dias há um prato de peixe, um prato de carne e um especial raw vegan do dia – um local que poderá assim, agradar a todos, vegetarianos, vegan,  amantes da comida raw, e não vegetarianos. A garrafeira apresenta uma selecção cuidada de vinhos portugueses, com especial destaque para os vinhos algarvios. A Casa da Tocha dispõe ainda de um hostel de ambiente familiar, com capacidade máxima para 10 pessoas.

Casa da Tocha

Os nachos de guacamole são uma verdadeira delícia que não pode deixar de experimentar.

Nachos de guacamole e salada

Vegetarianus, Portimão

O Vegetarianus é um pequeno restaurante no centro de Portimão que serve exclusivamente pratos vegetarianos, oferecendo também a opção de take away. O casal dono do restaurante é muito simpático e confecciona pratos deliciosos que nos levam a conhecer novos sabores e a verdadeiramente perceber que a comida vegetariana pode ser tão, ou mais gostosa do que a comida tradicional. Todos os dias há uma variedade de pratos e sobremesas diferentes e coloridos que por vezes parece quase impossível como somente duas pessoas, conseguem fazer tanta comida saborosa, numa só manhã! É um local de almoço de residentes, pelo que se quiser conseguir mesa facilmente, sugerimos que vá logo na hora de abertura, às 12:00h.

vegetarianus

A comida é toda saborosa, mas o nosso destaque vai mesmo para os pastéis salgados que com uma salada e um sumo natural, são só por si, uma refeição gostosa e saudável.

pasteis doces e salgados

Se deseja conhecer mais restaurantes adeptos da alimentação vegetariana um pouco por todo o mundo, consulte o artigo do Lonely Planet aqui.